Sábado, 25 de Novembro de 2017
Banner_ILG

Últimas noticias em questão racial e quilombola

Instituto Luiz Gama participa de homenagem à Luiz Gama

Abolicionista que libertou mais de 500 escravos será reconhecido pela OAB Negro liberto que se tornou libertador de negros, Luiz Gonzaga Pinto da Gama (1830-1882) ficou conhecido como um rábula que conseguiu alforriar, pela via judicial, mais de 500 escravos. O rábula exercia a advocacia sem ser advogado. Numa reescrita tardia da história, sua designação vai mudar. Na noite da próxima terça-feira (3), em cerimônia na Universidade Presbiteriana Mackenzie, Luiz Gama deve...



Documentário destaca luta da ativista Angela Davis pelos direitos civis dos negros nos EUA

Ampliar / reduzir -


Os passos que os Estados Unidos deram entre o fim do regime escravocrata, em 1863, e a eleição do seu primeiro presidente negro, em 2008, tiveram pelo caminho capítulos simbólicos de uma luta que, naquela sociedade, é travada dia a dia com a devida gravidade. Um desses momentos relevantes é tema do documentário Libertem Angela Davis (Free Angela and All Political Prisoners, EUA/França, 2012), em cartaz a partir desta quinta-feira no CineBancários, em Porto Alegre.

angeladavisdoc
 
Com direção de Shola Lynch, o filme destaca a figura da ativista negra Angela Davis, protagonista de um caso policial e jurídico que ganhou dimensão mundial em 1970 por seu simbolismo político e social. Nascida em 1944 no Alabama, Estado sulista dos mais racistas naqueles tempos, Angela formou-se em Filosofia na Alemanha. De volta aos EUA, encontrou o país em convulsão. Os assassinatos de Malcolm X (em 1965) e Martin Luther King (em 1968) colocaram a luta contra a segregação racial em evidência tanto pelo viés radical de um quanto pela tentativa de diálogo empreendida pelo outro.
 
Angela engajou-se no Partido Comunista dos EUA e no grupo Panteras Negras, que defendia o direito dos negros à luta armada. Acusada de envolvimento no sequestro frustrado que resultou na morte de um juiz, tornou-se se a mulher mais procurada dos EUA. Ela própria, hoje com 70 anos, ajuda reconstituir, em meio a depoimentos atuais e imagens de arquivo, a história de sua fuga, captura, temporada na prisão e julgamento. Passos que ajudaram a pavimentar a estrada para Barack Obama chegar à Casa Branca.
 
Como mostram os recentes eventos policiais ocorridos nos EUA, a luta de Angela continua, mas em um nível de conquistas e debates ainda muito distantes, por exemplo, do que se observa no Brasil. Aliás, Angela esteve esse ano participando de um evento em Brasília e disse estranhar que a população majoritariamente negra do país não esteja espelhada, na mesma proporção, na representação política e na programação de TV. Por aqui, este ainda é um caminho longo e pedregoso a ser desbravado.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Leituras Recomendadas

Prev Next

Um Defeito de Cor - Ana Maria Gonçalves

Um Defeito de Cor - Ana Maria Gonçalves

Fascinante história de uma africana idosa, cega e à beira da...

Sangue de Mim - Polyana de Almeida Ramos

Sangue de Mim - Polyana de Almeida Ramos

Romance brasileiro que aborda o universo feminino e afrodesc...

Você me deixe, viu? eu vou bater meu tam…

Você me deixe, viu? eu vou bater meu tambor!

É uma publicação zelosa em que se pode a cada página percebe...

Cada tridente em seu lugar & outras crôn…

Cada tridente em seu lugar & outras crônicas

Estréia literária de Cidinha da Silva, arguta investigadora ...

Os nove pentes d'África

Os nove pentes d'África

Em "Os nove pentes d'África", estréia de Cidinha da Silva na...

Kuami – Cidinha da Silva

Kuami – Cidinha da Silva

Cidinha da Silva mergulha na prosa mais uma vez e traz uma h...

Procure no site

Enquete

O que você achou das funções de nosso novo portal?

Vitrola Luiz Gama

Click